Skip to content

EU TE AMO, MAS ME AMO MUITO MAIS!-Joyce Damy Mobley

23/03/2010

Eu Te Amo, Mas Me Amo Muito Mais – Joyce Damy Mobley

Que Deus me proteja deste medo de amar que agora cresce em mim.

Porque estou quase mandando todos os poetas pra @#*&%!

Que o Deus dentro de mim me diga que viver é amar.

Porque estou achando que é gozar da cara de quem caiu nessa esparrela!

Que Amor me proteja da mediocridade de uma vida sem Amor.

Porque ela deve ser muito boa, já que há mais seres medíocres do que humanos…

Que eu me proteja do desejo de desacreditar no amor.

Porque se eu desacreditar: vou aprontar muitas e tantas!

Que o medo possa se diluir sem diluir minha fé na vida. Porque ser inconsequente deve ser muito bom!

Que o amor entre um homem e uma mulher não seja ilusão.

Porque a realidade é melhor do que a crença, ao menos é palpável.

Que crescer no amor seja uma realidade possível.

Porque se for impossível eu vou crescer minha conta bancária.

Que cada vez que eu tenha amado não tenha sido em vão.

Porque PQP eu já amei muito idiota, e acho que estou amando outro!

Que uma luz me ilumine e aquiete o meu coração.

Porque só tenho dois neurônios e meio que estão no breu total!

Que o amor tenha mais força que os abandonos.

Porque abandonar é preciso e amar é terrivelmente impreciso.

Que um sonho me venha e responda o que é o amor.

Porque os poetas são mentirosos, e química nunca foi meu forte.

Que as pessoas se encontrem e se façam estrelas.

Porque ao menos as estrelas são bonitinhas e já estão mortas.

Que amor me encontre e me faça estrela em seus braços.

Essa eu não quero não, porque já me bastam os mortos vivos que se reproduzem a cada suspiro.

Que eu me respeite e entenda a liberdade de escolherem prisões.

Porque meus dois neurônios e meio são muito inteligentes pra isso!

Que eu não perca minha alegria.

Porque eu me divirto sozinha quando olho para as pessoas sem as travestir das qualidades que invento.

Que minha suavidade seja maior que o desespero.

Porque desespero dá rugas e enfraquece meus parcos neurônios.

Que meu desespero seja menor que meu amor.

Porque eu fico muito linda quando estou amando, e desespero é pior do que primeiro ano de casamento!

Que eu possa amar aqueles que merecem o meu amor.

Porque o meu amor é lindo, mas como todo amor carece de um cestante…

Que aqueles que amo sejam dignos de serem amados.

Porque inconsistência e egos frágeis estão me dando gastura!

Que eu não me deixe dominar pelas amarras das dores.

Porque estou enriquecendo a indústria farmacêutica de tanto tomar relaxante muscular!

Que eu possa sonhar e viver o amor em sua plenitude.

Porque a PLENI eu já vivi, mas está faltando o TUDE!

Que o homem que amo seja digno do meu amor.

Porque meu orgulho vai pra descarga se eu tiver errado de novo!

Que Deus me proteja no seu amor.

Porque os vários “meu anjo”, “anjo grande”, “anjo desadjetivado”, que passaram por mim, vieram sem airbag, e completamente desequipados no que concerne à proteção.

Que eu me sinta protegida no amor.

Porque amar errado pode ser tão exaustivo quanto correr de vaca brava!

Que essa dor que me invade não me transforme numa ameba emocional.

Porque ser medíocre é apavorante!

Que eu sempre possa ser honesta.

Porque não quero seguir carreira na política.

Que eu sempre possa amar sem me endurecer.

Porque “é pau, é pedra, é o fim do caminho”…

Deus meu, que medo eu sinto de me endurecer!

Porque “é pedaço de toco e toco sozinho”!

Que Deus me proteja deste medo que parece mais forte que eu.

Porque detesto ser repetitiva, já vi esse filme e já sei que no fim o medo morre!

Que meus neurônios me protejam quando me pergunto: por que mais uma vez eu confiei no amor?

Porque mais burro do que amar, só mesmo se fazer uma pergunta dessas!

Deus meu, eu quero colo.

Porque neste momento estou de saco cheio de ser colo, depois eu reassumo o meu posto, tá?

Que medo eu sinto de desistir de amar!

Porque crescer com as experiências é inevitável, e dá um trabalhão danado encontrar outro homem com inteligência suficiente pra me enrolar.

Que eu nunca me entregue  por me entregar.

Porque afinal eu já casei quatro vezes e só diminuí minha conta bancária!

Que eu nunca seja como tantos homens e mulheres que não compreendem que nosso corpo é um templo para ser vivido no amor.

Porque se com amor já é difícil, sem amor vou ter que acreditar que impossível não é apenas uma palavra.

Que meu corpo pare de doer de tanto desejo.

Porque, convenhamos, desejo é muito bom pra ser gasto em dor.

Que meu coração se aquiete e não bata assim tão forte.

Porque vou acabar virando mestre de tanto fazer meditação!

Que a minha crença no amor possa continuar a ser meu rumo.

Porque assim eu não preciso beber pra ficar tonta!

Que eu nunca desista de amar alguém, porque amar é o sentido da vida.

Porque, hummmm, a-hammm…  Sentido da vida? Nem eu mesma sei responder isso!!

Que o homem que amo me proteja no amor que SEI, ele sente por mim.

Porque ele está meio distraído e quando acordar vai estar neste lugar que agora estou… Ôôôôô desperdício!

Sou absolutamente contra o desperdício!

A-hammm,

Joyce Mobley

PS: Foi interrompido no finalzinho da execução… Achei que a interrupção somava ao texto; não trocaria por ser uma das interpretações de que mais gosto.


Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. 08/09/2011 6:22 pm

    Só tenho a te agradecer pelo apoio de sempre…Tô indo para o último ano da faculdade, e já sonho com mestrado…

    Te amo muito…Pri

    “Amigos caminham conosco as trilhas que não seríamos capazes de percorrer sozinhos… Amigos nos lembram de quem somos quando nos esquecemos de nós, amorosamente nos contam e recontam as nossas histórias até nos reencontrarmos, com nós mesmos, através de tantos momentos compartilhados.
    Com os amigos somos livres para contar os nossos sonhos, os nossos podres, os nossos medos, os nossos lados mais lindos, os nossos lados mais feios, e eles ali estão para nos dizer que somos mais do que esses pequenos detalhes desconectados do nosso todo… Amigos nos lembram que somos mais do que os nossos erros, e menos do que os nossos acertos, amigos são a nossa memória”Joyce Mobley

  2. Leticia permalink
    27/03/2010 12:35 pm

    Que eu nunca me entregue por me entregar.

    Porque afinal eu já casei quatro vezes e só diminuí minha conta bancária!

    auhhauhuhuhuhuhuh

  3. 26/03/2010 4:10 pm

    Porque amar errado pode ser tão exaustivo quanto correr de vaca brava!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu nunca corri de vaca brava,mas vivo perna pra quem tem de um amor errado

    bjos

  4. Joyce Mobley permalink*
    24/03/2010 4:56 pm

    Quando escrevi este texto me encontrava um tanto perdida, mas não posso deixar de apreciar o humor que me acompanha, até mesmo, nesses momentos.
    Ainda bem que não caí em nenhuma das tentações da mediocridade.
    A-hammm,
    Joyce Mobley

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: