Skip to content

BAGAGEM DE OUTRAS VIDAS? Joyce Damy Mobley

20/06/2010

INICIALMENTE ESTE POST SERIA UMA RESPOSTA AO COMENTÁRIO DE LÊ, EM:
https://joycemobley.wordpress.com/2010/06/18/carencia-se-da-por-falta-e-tambem-por-excesso-joyce-mobley/

PRESENTE - PASSADO - FUTURO

IMAGEM DE:http://oglobo.globo.com/diariosp/sextosentido/posts/2009/12/03/vidas-passadas-projecao-246696.asp

Tô encucada com uma coisa:
E aquelas pessoas que já nascem com uma predisposição de ser carente ou medrosa?
Não será uma bagagem de outras vidas? E se for, tem como reverter isso?
Bjinhos Lê

Oi Lê querida!
Você está encucada com UMA coisa?
Nopes, você está encucada com algumas coisas; então, vamos por partes.
Uma pessoa pode nascer com predisposição genética para ser “medrosa”, não seria medrosa, mas algumas características que convergem para o medo, carência, e outros sintomas; neste momento vou interpretar o medo e a carência como sintomas.
Vamos tomar como exemplo a bipolaridade que é genética:

*Genética é a maior causa do Transtorno Bipolar do Humor

– Dayanne Gomes de Santana –
O Transtorno Bipolar do Humor (TBH) é uma doença psiquiátrica que aponta 90% dos casos como genéticos, e apenas 10% causados por fatores ambientais. A base casual para o transtorno do humor é desconhecida.

Quando a causa é genética, o portador na maioria dos casos possui uma pré-disposição a ter essa doença, que pode ser diagnosticada desde a infância. “Nessa fase, os genes já estão atuando e caracterizando a doença”, afirma o geneticista da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRP), C. A. F. de Melo, que sofre com a doença e pede para seu nome não ser divulgado.
(ARTIGO PODE SER LIDO NA SUA ÍNTEGRA NO LINK ABAIXO)
http://www.online.unisanta.br/2007/08-18/saude-2.htm


AGORA EU:
Transtornos de Ansiedade também podem causar esses sintomas em uma criança, e aqui é quase matemática: Filhos de pais com transtornos de ansiedade desenvolvem transtornos de ansiedade, até mesmo porque para uma criança os pais são modelos de como enfrentar a vida; algo em que elas se espelham para crescer. Durante a primeira infância os pais são os “heróis”, e se como herói a criança tem pais adoecidos…

Não posso deixar de lembrar que o feto vive as mesmas experiências que sua mãe durante o período de gestação. Se durante a gravidez a mãe experimenta fortes emoções de ansiedade, de carência, de solidão, de instabilidade (além da instabilidade natural ocasionada pelas mudanças hormonais), a crianças sentirá tudo o que a mãe sente.

Uma criança não passa a ser uma realidade viva após o nascimento; ela já era real, já sentia, já desenvolvia a pessoa, ou o neném que ele é no primeiro segundo após seu nascimento… Traz consigo as experiências vividas na vida intra-uterina. É lógico que existe toda uma vida adiante para modificar as experiências, ou mesmo para torná-las ainda mais fortes; entretanto a experiência estará presente. Perceba que uma pergunta freqüente nos consultórios de pediatria é: Como foi a gravidez?

Escolhi dois exemplos para ilustrar a resposta, ou a primeira parte da resposta. Poderia ter escolhido muitos outros, contudo, optei por um exemplo da pré- disposição genética (90%) do Transtorno Bipolar, e um exemplo oposto que é o das experiências compartilhadas entre mãe e filho durante o período de gestação.

É difícil falar sobre tema tão vasto em um post, mas é necessário acrescentar que algumas patologias como Anemia ( e outras tantas) podem apresentar sintomas na área emocional, dentre os quais, Lê, os sintomas sobre os quais você perguntou.

Bagagem de Outras Vidas:

Agora sim… Aqui você nos leva à outra ceara, e, quê de alguma forma é a mesma ceara das vivências, ou patologias, segundo estudos na Área da Parapsicologia, TVP (Terapias de Vidas Passadas: escrevi no plural, pois há mais de uma linha), Psicoterapia Reencarnacionista, ou ainda podemos entrar na área da Filosofia Essencialista (superficialmente: você pode trazer uma bagagem ao nascer), Existencialista (superficialmente: a sua existência constrói quem você é). Várias correntes Espiritualistas explicariam isso.

Qualquer caminho que se escolha para explicar a Carência, e o Medo, como possibilidade genética, ou possibilidade de Experiências de Vidas Passadas convergem para uma saída comum: Há como resolver tais problemas.

Não estou aqui para sugerir, tampouco para criticar quaisquer caminhos; devo, entretanto, sugerir que se pesquise com seriedade. Em tantos anos de clínica não foram poucas as vezes em que atendi casos sérios, que vinham sendo tratados como sintomas emocionais e cujas raízes se encontravam em Patologias, tais como: Hipertireoidismo, Miastenia Gravis, Vírus Epstein Barr; estes são alguns dos muitos casos que atendi, e encaminhei para diagnóstico médico, uma vez que suspeitei das reais causas dos sintomas apresentados. Somos um sistema integrado, somos seres psicossomáticos, “Psicossomos”.

Descartadas as possibilidades de Patologias: Carência, e Medo, podem ser trabalhados na vida, e nas mais diversas correntes de Psicoterapias. O mais importante é decidir pelo saudável; saber que um Ser Saudável é desenvolvido durante a vida, é uma escolha, e há muitos e tantos caminhos para alcançar isso.

Segundo a Organização Mundial de Saúde: Saúde é o Bem Estar Físico, Emocional, e Social. Talvez este último – Bem Estar Social – seja o mais difícil de ser conquistado…
Respondi? Não tenho certeza de quê o tenha feito, mas pode reclamar.
Abraço de brisas perfumadas.
A-hammm
Joyce Mobley
CRT 42510

Anúncios
7 Comentários leave one →
  1. Inacio permalink
    31/01/2014 8:08 pm

    “A base casual para o transtorno do humor é desconhecida.”
    Casual ou causal?
    “…o geneticista da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRP), C. A. F. de Melo, que sofre com a doença e pede para seu nome não ser divulgado.” Vc deu sobrenome, as iniciais do nome, o posto ocupado e o endereço exato do trabalho dessa pessoa. Para quem pediu para não ter o nome divulgado, só faltou uma foto! Grande falha ética.

    • 06/02/2014 11:30 pm

      Os detalhes por voc referidos encontram-se aqui ( http://www.online.unisanta.br/2007/08-18/saude-2.htm) onde voc poder ler em sua ntegra. A mim me parece um nome fictcio -justamente- pela observao da no divulgao. Quando tomo um texto emprestado no google, costumo colar o link; o que escrevi est abaixo do mesmo. Att., Joyce Mobley

  2. Guida permalink
    22/06/2010 11:24 pm

    Oi Amiga

    Então,tenho encontrado uma paz enorme em seus textos,e agradeço pelo carinho quem tens tido com a minha filha leticia que é tão tagarela quanto o homem do leite hehehe
    Pensando em tudo que foi dito aqui, acredito que o nossa mente e o nosso corpo que é a bagagem e que tudo que carregamos fomos nós mesmos que colocamos para dentro e temos que ir retirando tudo que está pesando e que não tem utilidade nenhuma.Estou correta ou não?
    Importante para eu poder saber se estou entendendo certo hehe

    Bjitos Guida

  3. leticia permalink
    21/06/2010 8:22 pm

    Compreendi e adorei a sua resposta.Você me esclareceu várias dúvidas.
    Não são dúvidas minhas de fato, surgiram meio que assim do nada rsrsrs digo curiosidade.

    Bjinhos Flor

    • 21/06/2010 8:44 pm

      O interessante das dúvidas que surgem do nada é que sempre servem para alguém que está a viver as dificuldades que você levantou.
      Beijossssssssssssssssssssss

  4. leticia permalink
    20/06/2010 7:50 pm

    Brigadinho,respondeu sim!

    Acabei de compreender,quando eu disse que era uma predisposição ou que poderia ser algo que trouxe de outras vidas foi uma maneira que eu encontrei de simplificar as coisas.
    Não é este o caminho,sei bem que não devemos tentar explicar tudo,ou encontrar desculpas para alguma coisa óbvia.
    Ando tentando e pensando em tudo, em tudo que concerne ao meu bem estar físico e emocional.
    Você disse que: Teve muitos pacientes que procuravam tratamento para o lado emocional e muitos deles eram físicos.Tô encucada de novo rsrs
    Assim: Se a pessoa tem uma determinada doença ,mas para ela se curar de fato e procurar um tratamento ela não necessita estar emocionalmente bem, para poder encarar um tratamento?
    Ou também muitas doenças como você citou a anemia ou hipertensão,gastrite,tosse… não vem do emocional abalado?

    Beijinhos da lê da cuca encucada rsrsrs

    • 21/06/2010 3:33 pm

      Gargalhadas!
      Minha linda, como já disse somos um sistema psicossomático: Tudo que acontece no seu corpo, na vida, tem um reflexo simultâneo de ordem emocional. Assim como tudo que acontece no universo emocional, acontece simultaneamente no seu corpo.
      Você me pergunta se a pessoa necessita estar bem emocionalmente para enfrentar um tratamento… Pense em você mesma como um sistema que não obedece às divisões corpo, e mente… Tratar uma coisa é tratar a outra. Se necessita de um tratamento médico, e sabe disso, melhorar emocionalmente é melhorar fisicamente, e vice versa.
      Ao romper o impasse de precisar de algum tipo de tratamento, e tratar-se, você automaticamente vai sentir uma melhora na área emocional. Pense no quanto lhe custa saber que necessita de ajuda médica e não buscar essa ajuda… Sei que você é capaz de perceber que o tempo é fundamental para não agravar quaisquer tipos de patologias, meu anjo.
      O medo de enfrentar um tratamento só aumenta o trabalho que se vai ter para resolver seja lá o que for… Procure um médico, minha linda: procure um bom médico e siga o tratamento. Busque por dois ou três médicos para ter certeza de que o diagnóstico e tratamento são convergentes, mas SIGA CORRETAMENTE o que seu médico lhe disser.
      Só as crianças conseguem fechar os olhos e honestamente acharem que estão protegidas de supostas, ou reais, ameaças… Como você já não é criança, o mais indicado, e necessário, é fazer o que é preciso para manter-se saudável.
      Para não ficar absolutamente séria vou lembrar de Derci Gonçalves: A vida é como um sutiã e o negócio é meter os peitos!
      Abraço carinhoso, puxão de orelha, e beijossssssssssssssssssssssss!
      A-hammm
      Joyce Mobley

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: