Skip to content

Poema de Hilda Hilst

26/09/2011

Não me procures ali

onde os vivos visitam

os chamados mortos.

Procura-me dentro das grandes águas.

Nas praças,

num fogo coração,

nos arrozais, no arroio,

ou junto aos pássaros

ou espelhada num outro alguém,

subindo um duro caminho.

Pedra, semente, sal, passos da vida.

Procura-me ali.

Viva.

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 14/02/2015 11:21 pm

    Chico e sensacional. Você deveria escrever mais

    • 15/02/2015 12:55 am

      Não apenas Chico, mas alguns outros, nossos e não nossos. Voltarei a escrever também aqui; é que estive em Hades. Lá são tantas as vozes, tantas palavras; difícil ter moedas suficiente para a travessia. However, depois de ter touched the sound of silence as palavras começaram a voltar.

      • 15/02/2015 12:59 am

        Que bom. Seja bem-vinda. Pensando bem, estamos sempre voltando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: